Varejo eletrônico vai sugerir diretrizes para ‘clique e retire’

Conhecida como omnicanalidade, a integração entre os mundos físico e online no comércio pode ganhar uma legislação própria em breve. Liderado pelo varejo eletrônico, um primeiro esforço regulatório pretende definir regras para a modalidade, garantindo segurança jurídica para lojistas que operem em modelos como o clique e retire.

“Ainda existem obstáculos para se fazer uma operação omnichannel redonda”, afirmou ao DCI o sócio do Brudniewski Martins e Miranda Advogados, Guilherme Henrique Martins Santos. Foi o escritório o designado pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) para formatar a primeira versão de texto que poderá se transformar em lei complementar caso “apadrinhado” por representantes do Legislativo.

A iniciativa propõe regras para aspectos como trocas, devoluções, recolhimento de impostos e créditos tributários. “Seria uma lei para simplificar processos”, afirmou o cofundador e diretor de operações Amaro, Lodovico Brioschi; nativamente digital mas com presença física desde 2015, a rede de vestuário participou da elaboração da proposta por ser considerada referência na modalidade.

“Hoje nosso omnichannel vai em todas as direções”, sinalizou Brioschi. “A cliente pode comprar pelo celular e receber em casa, comprar pelo celular e retirar nas guide shops [as lojas-conceito da rede] ou comprar na guide shop e receber em casa”, explicou ele, lembrando que em São Paulo (SP) o produto é entregue no mesmo dia.

Físico
Enquanto o varejo eletrônico se movimenta para regulamentar a omnicanalidade, a estratégia se consolida como prioridade entre grandes grupos de varejo.

Na Via Varejo, 28,4% das vendas em categorias como televisores e telefonia foram realizadas online, mas retiradas nas lojas durante o primeiro trimestre. Já o Carrefour possibilita a retirada via carro através de drive thru desde a semana passada em unidade localizada em São Paulo (SP). Na rede, o clique e retire para produtos não-alimentícios já está disponível em 12 hipermercados.

No caso da Leroy Merlin, a omnicanalidade é “parte central da estratégia há cinco anos”, afirmou o diretor de comunicação, Paulo José. Na varejista de materiais de construção, o clique e retire está presente em todas as 41 lojas da rede. “Para isso, foi necessária uma revolução no nosso supply chain. Contratamos empresas com um olhar mais digital e apostamos em uma relação direta com os fornecedores, através de um portal único de logística. Hoje nosso investimento em omnicanalidade permeia todas as áreas”, garante.

fonte: diario comercio e industria

Deixe uma resposta