Supermercado Real mostra que tecnologia não é só para grandes redes

O setor varejista é uma das referências no quesito inovação. Buscando sempre estar antenado com tecnologias que ajudem a melhorar sua excelência operacional aliada a satisfação do consumidor, o varejo brasileiro está cada vez mais alinhado com avanços globais, investindo em soluções que façam a diferença em um mercado tão competitivo. Apesar da maioria das tecnologias disruptivas do varejo estarem presentes em grandes redes multinacionais, a democratização dessas soluções começa a impactar as redes nacionais, possibilitando investimento em ferramentas que ajudam o varejista brasileiro a modernizar sua operação.

A rede Supermercados Real, situada em Niterói (RJ), adotou etiquetas eletrônicas da Seal Sistemas e começa a colher os resultados dessa transformação. Gabrielle Valladares, Diretora do Supermercado Real, comenta que em um primeiro momento, foram trocadas as etiquetas de papel pelas etiquetas eletrônicas da Seal Sistemas por uma questão mais visual, acreditando que um supermercado tem que estar sempre limpo e com boa aparência. De acordo com Gabrielle, o projeto começou na loja de Icaraí, substituindo todas as etiquetas de papel pelas eletrônicas. “Com o fim da fase de transição, os resultados foram claros, os clientes ficaram impressionados ao se deparar com esse tipo de tecnologia em uma loja local. Muitos achavam que esse tipo de tecnologia nunca chegaria ao Brasil, o que gerou satisfação imediata do consumidor e um resultado positivo para nossa loja”, afirma.

Além da parte visual e da melhora da experiência de compra do consumidor, o Supermercado Real notou a diferença real em sua operação diária. Segundo o Real, o processo de precificação que envolvia quatro profissionais, entre elaboração de preços, impressão de etiquetas e conferência das mesmas, hoje é feito por uma única pessoa, já que as etiquetas eletrônicas recebem as informações diretamente do Centro de Processamentos de Dados, não envolvendo mais colaboradores de suas filiais. Para Gabrielle, esse processo gera uma operação muito mais estratégica, já que os supervisores e gerentes não se preocupam mais com o processo de precificação, podendo focar suas atividades no core do negócio. Outro ponto importante é a assertividade na precificação, o que levou o índice de troca e devolução de produtos por erro de preço praticamente a 0, mudando a relação entre supermercado e consumidor.

Devido ao sucesso das etiquetas eletrônicas na unidade de Icaraí, a Rede de Supermercados Real já investiu nessa tecnologia para suas duas novas lojas. “As duas novas lojas do Real irão operar somente com etiquetas eletrônicas, garantindo um visual moderno e maior precisão na operação. Devido a melhora nos processos hoje as etiquetas são um consenso dentro do Real, valendo uma comemoração dos colaboradores quando anunciamos que as novas lojas também iriam contar com essa tecnologia”, completa

Adaptado de: https://itforum365.com.br/gestao/na-pratica/supermercado-real-mostra-que-tecnologia-nao-e-so-para-grandes-redes

Deixe uma resposta